28° C

Secretaria de
Defesa Social

Notícias

AGOSTO LILÁS: Tarde de palestras voltadas ao enfretamento da violência contra as mulheres

AGOSTO LILÁS: Tarde de palestras voltadas ao enfretamento da violência contra as mulheres

Notícias

daaec092-a7e4-443c-95fb-55c10a64a2aa.jpg

 

AGOSTO LILÁS: Tarde de palestras voltadas ao enfretamento da violência contra as mulheres

A Corregedoria Geral da SDS recebeu, na tarde dessa segunda-feira (29/08), quatro importantes representantes da causa: Ana Elisa Sobreira Gadelha, secretária da Mulher; Fabiana Leandro, gestora do Departamento de Polícia da Mulher (DPMUL); Virgínia Moury Fernandes, Defensora Pública Estadual e coordenadora do Núcleo de Violência Doméstica, e Daisy Maria Pereira, desembargadora do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Elas trouxeram informações que objetivam transformar a realidade de muitas mulheres vítimas de violência em nossa sociedade.

O evento foi aberto pelo Corregedor Geral, Paulo Loyo, que em sua fala enalteceu o trabalho que vem sendo feito pela rede de apoio às mulheres em Pernambuco. "Como é importante a integração entre os órgãos nesse processo de enfrentamento da violência contra as mulheres, sobretudo para inicialmente identificar o problema e então enfrentá-lo adequadamente", pontuou.

Iniciando a rodada de palestras, a secretária da Mulher, delegada Ana Elisa Sobreira, trouxe o papel da pasta frente à temática. "Nossa principal missão é trabalhar, acima de tudo, com a prevenção e fortalecer as políticas públicas preventivas no estado em favor das mulheres. Que historicamente vêm sendo vítimas da desigualdade de gênero, em todo o mundo. Diante disso, vemos como é importante falar sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido e apresentar a rede de apoio que existe em Pernambuco para as mulheres em situação de violência", frisou a secretária.

A desembargadora Daisy Maria Pereira trouxe as ações realizadas pela Coordenadoria da Mulher do TJPE, destacando as ações do projeto "Dialogando sobre a Lei Maria da Penha" nos espaços públicos. "Nosso programa busca dialogar sobre a Lei Maria da Penha, em locais de grande circulação de pessoas, juntamente com órgãos parceiros. Levamos informações que auxiliam as mulheres, pois muitas delas não enxergam o agressor como sendo agressor, e até mesmo, muitas vezes, o próprio agressor não se enxerga como um. Isso por causa desse mal cultural que é a 'objetificação' da mulher", esclareceu.

 

5e90e03d-fab5-4868-8ad6-62286a9c9e97.jpg

 

Em sua fala, a delegada da Mulher, Fabiana Leandro, destacou o trabalho que vem sendo intensificado pela DPMUL em todo o estado, inclusive com a DPMUL Itinerante. "Desde o ano passado estamos fortalecendo as ações do Núcleo de Prevenção aos Crimes contra a Mulher (NUPREM), com a caravana da DPMUL para levar informação à sociedade, esclarecendo que a Lei Maria da Penha não é contra os homens, mas contra os agressores de mulheres. A Polícia Civil vem buscando se especializar melhor na temática para trazer uma cultura de mudança e de conscientização da sociedade e também do nosso público interno, o efetivo das operativas da SDS, para melhor atendermos as vítimas", ressaltou.

A Defensora Pública Estadual, Virginia Moury, finalizou a rodada de palestras trazendo o olhar da Defensoria sobre o tema e reforçando o compromisso que todos os agentes públicos precisam ter para serem multiplicadores das informações ali compartilhadas. "Dividir com vocês essas informações de conscientização e conhecimento dos mecanismos que o estado dispõe, para atender e ajudar as vítimas, é muito importante. Levando em consideração a diversidade do público, lembrando que há agressores em todas as camadas da sociedade, desde autoridades políticas, agentes públicos, pessoas que moram na zona sul até aquelas que são de áreas e classes mais vulneráveis", considerou.

Também esteve presente no evento a Corregedora Auxiliar Civil (CAC), Alessandra Oliveira, que também enfatizou a necessidade de tornar o conhecimento adquirido através das palestras em uma missão a ser compartilhada. "A violência contra a mulher envolve a sociedade, a família, os valores. A nossa missão é ajudar a restaurar a vida, não de uma pessoa apenas, mas de uma família", destacou.

Unanimidade entre todas as palestrantes foi a necessidade de informar para transformar. Todas destacaram a importância da informação na prevenção e no enfrentamento da violência contra a mulher. Salientou-se a responsabilidade de cada agente se sentir um multiplicador, para fortalecer o enfrentamento a esses crimes.

Por fim, houve a participação da estudante do Núcleo de Estudo de Gênero, uma das ações preventivas da SecMulher, Elis Sacramento, filha da servidora Elaine Sacramento, que trouxe uma palavra de valorização às mulheres. "Sempre tive uma mãe que me incentivou a lutar por todos os meus direitos, e desde pequena cresci vendo as dificuldades que eu enfrentaria por ser mulher. Que nossa geração aprenda a lutar por equidade e seja multiplicadora das ideias aqui apresentadas", finalizou.

 

bc3ddef5-9323-4876-996b-28bfa9c80b4f.jpg

 

0d6b3443-82fa-4c4e-bbef-3ebdd57f32f1.jpg