28° C

Secretaria de
Defesa Social

Notícias

SDS divulga resultado da maior operação realizada no País para desarticular grupos de extermínio

Geral

A Secretaria de Defesa Social (SDS) divulgou, na manhã de hoje (21), o resultado da Operação Guararapes – a maior realizada no País para desarticular grupos de extermínio. Os trabalhos foram iniciados na última quarta-feira com o objetivo de desarticular grupos de criminosos que atuavam em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. Dos 53 mandados de prisão  foram cumpridos 43 e de Busca e Apreensão todos os 51  foram executados. A operação faz parte da estratégia adotada pelo Governo do Estado para repressão qualificada no combate a grupos de extermínio preconizado no Plano Estadual de Segurança Pública – Pacto Pela Vida.

Segundo o delegado Joel Venâncio, coordenador da Operação, os crimes se davam por motivos que seriam desde um desentendimento, vingança ou pela eliminação de testemunhas. “A maneira como agiam era com duas pessoas em uma moto. “Uma vida podia custar o valor de R$ 600,00 (seiscentos Reais). Constatamos também que o grupo mantinha contato com quadrilhas na Paraíba e em Alagoas”, revelou.  O grupo está sendo acusado de assassinar pelo menos 36 pessoas.

Dentre os presos estão militares estaduais e um policial civil. São eles: Ivson Luiz da Silva (Ivson PM), soldado da PM, lotado no 6º BPM; Osil Vicente Guedes (Osil PM), soldado da PM, lotado na CIPMoto; Marcos Antônio Carvalho dos Santos (Marcos Comissário), lotado na DP de Boa Viagem, e Levi Ramos de Oliveira, Bombeiro Militar, lotado no 1º Grupamento de Incêndio. Eles davam apoio aos grupos através da logística e com livre trânsito nas blitzs policiais ao se identificarem. O processo será enviado à Corregedoria para formalizar o afastamento dos envolvidos.  

As investigações ainda irão continuar para efetuar a prisão de nove pessoas que estão foragidas. O delegado acredita que depois dessa operação as testemunhas e vítimas apareçam.

O Secretário de Defesa Social Servilho Paiva ressaltou a importância da operação para o combate à criminalidade. “Estamos trabalhando diuturnamente com integração das polícias dentro de um planejamento estratégico e indicadores de inteligência policial que possibilita  o êxito  dessas operações”, frisou.

Durante as investigações ficou constatado  que os grupos possuíam divisões. Cada integrante possuía uma atribuição dentro do grupo, sendo divididos em: grupo “A’, que era chefiado por José Luiz França Farias, 30 anos, acusado de mandar executar Salomão Henrique Duarte, morto em 29/11/2007. O grupo “B” por Valter Luís de Souza (“cabo Valter”, ex-cabo do Exército), 39 anos, presidente da Associação Comunitária do Cajá, em Jaboatão dos Guararapes e chefe de uma empresa de segurança conhecida pela turma do apito e candidato a vereador pelo PSC. O grupo “C”, liderado  por Carlos Augusto da Silva Melo (“papito”), que tinha a intenção de se candidatar a vereador, mas não formalizou junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Esses grupos foram intitulados como “Confraria do Crime”.

Para ele, o sucesso da operação se deve a diversos fatores. Dentre eles o esforço integrado das Polícias Civil e Militar  além da parceria com o Poder Judiciário e Ministério Público.“O sigilo e o fator surpresa que evitaram possíveis confrontos com os envolvidos num trabalho de repressão qualificada – sem nenhum tiro ter sido disparado também foi fundamental”, disse Joel Venâncio.

Com essa operação, as ações do Pacto Pela Vida ratificam a intenção do governo do Estado em erradicar a violência em Pernambuco. Ao total foram 377 pessoas presas em 22 operações realizadas. Para a Operação Guararapes foram empreendidos 57 delegados, 291 agentes, 42 escrivães, 33 policiais militares, 148 viaturas, 136 equipes e 423 equipamentos de uso pessoal.