Conseqüências do Abuso Sexual Intra-familiar

 

As conseqüências do abuso sexual são delicadas, e ainda mais delicadas, quando o abuso é praticado por um membro da família, por quem deveria proteger a criança ou o adolescente. 

As vítimas crianças ou adolescentes devem ser levadas a um psicólogo assim que seus responsáveis tomam conhecimento dos fatos ocorridos.

Há conseqüências do ponto de vista: psicológico (traumas), físico (doenças sexualmente transmissíveis), etc.

Quanto ao aspecto psicológico, sabemos que a situação é muito delicada, principalmente nos  casos em que o abusador é pai ou padrasto.

Além de serem maioria, são mais delicados e difíceis de serem descobertos, pelo fato de ser o abusador uma pessoa querida, o que torna mais confuso, na cabeça da criança  ou do adolescente, perceber que "aquilo"  que acontece é uma violência, que aquele comportamento foge à normalidade, é uma violência, contra a criança e o adolescente.

Há registros de casos de abuso, que o pai alegava com as carícias, que estava "ensinando" à criança o que era o sexo, etc. Que isso era normal.

Como também há alguns pais que chegam a dizer que eles puseram a filha no mundo, então podem ser eles a desvirginá-las. 

Uma criança abusada sexualmente tem tido poucas  saídas.

Como maus-tratos a violência sexual ainda é tabus, a criança ou adolescente às vezes não tem com quem desabafar, em quem confiar, e o abuso continua acontecendo. 

Isto, se não houver ameaças no caso de a criança ou o adolescente falar para alguém o que lhes acontece. 

As ameaças mais comuns são de que se a  vítima contar para alguém, o abusador a mata, bem como sua mãe e irmãos. Há  vários casos com este histórico registrados na Delegacia de Repressão aos Crimes contra Crianças e Adolescentes da DPCA-Polícia Civil de Pernambuco (Recife/PE)  com este mesmo histórico.

Algumas vezes, a genitora da criança vítima sabe ou desconfia de que seu filho ou filha (tanto meninos quanto meninas são abusados) vem sofrendo abuso sexual por parte de seu companheiro, mas não tem coragem de  enfrentar a situação, de defender seu filho ou sua filha. Continua a fazer de conta que não sabe de nada. 

A criança ou adolescente chega a adoecer por conta dos abusos, tanto físicos como sexuais. 

A  criança abusada muitas vezes  é também vítima de maus-tratos físicos, e termina fugindo de casa, passando a ser vítima de outras formas  de violência nas ruas, na casa de parentes, ou passando a se prostituir. 

Há casos em que a criança fica totalmente viciada na prática sexual precoce.

 

 

Em muitos casos quando o abuso é descoberto, há uma  outra problemática familiar a ser tratada, quando quem abusa da vítima é quem mantém a família.

Muitas  vezes a criança é que termina sendo acusada de ter causado a desagregação familiar. Em vez de ser o adulto apontado como  culpado, muitas vezes, a criança é que termina com este sentimento de  "culpa".

Algumas  vezes, a própria criança ou adolescente termina desmentindo o abuso sexual, na tentativa de reverter a problemática surgida no quadro familiar, na tentativa de não mais ter "a culpa"  dos acontecimentos (como se fosse dela), assumindo até uma suposta mentira - o que geralmente é feito por indução de um adulto. E o abuso continua a ocorrer. 

Várias são as conseqüências psicológicas do abuso sexual, que  influenciarão na vida sexual da vítima quando adulta, caso não se submetam a uma terapia.

As conseqüências do abuso sexual do ponto de vista físico, da saúde são muito sérias, principalmente levando-se em conta as doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS, isto sem falarmos nos casos em que a vítima sofre lesões graves  causadas pelo abusador.

Há casos de gravidez decorrente de abuso sexual  praticado pelo próprio pai ou padrasto. Nestes casos acarreta  conseqüências físicas, psicológicas, sociais etc. Inclusive há registro de  padrastos que engravidaram enteadas, antes que os abusos fossem descobertos, e pai que uma de suas filhas teve dois filhos seus, e a esposa, mãe da criança sabia de tudo. E calava. Caso este inclusive divulgado na imprensa do Sul do País.

Um abusador sexual, é uma pessoa que não tem  uma vida saudável,  não se preocupando com o bem-estar da vítima, e logicamente  não  se preocupando com a possibilidade de transmitir as doenças que porventura tenha. E é muito fácil tê-las, uma vez que tem uma vida sexual geralmente à margem da normalidade.

Portanto, podemos dizer sem receio,  que o abuso sexual também coloca a vida da vítima em risco.